Blog

Identificar e desenvolver pontos fortes da tripulação durante as tempestades.

Avaliação do Usuário: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

artigostorm2020

Artigo original escrito para a revista Coaching Brasil Edição Maio de 2020

Citação: “O Trabalho transforma o Talento em Genialidade” – Anna Pavlova

Do momento da redação deste artigo até a publicação, posso especular pouco sobre os desdobramentos da crise do COVID-19 e todo o impacto que isso gerará em todos os âmbitos de nossas vidas.

O que tenho convicção é que as crises passam, mas o talento fica.

E dito isso talvez seja nesse momento que precisamos manifestar nossas fortalezas individualmente e coletivamente com maior intensidade.

Mas será que somos conscientes de quais são nossos pontos fortes?

Pesquisas da Psicologia Positiva dizem que não, apenas um terço das pessoas conseguem claramente definir quais são seus pontos fortes, e apenas 17% conseguem manifestar essas fortalezas com frequência no dia-a-dia.

E se você acha que na liderança esse percentual é maior, se engana, uma investigação feita pela Psicóloga Organizacional Tascha Eurich revelou que apenas 10-15% dos líderes são autoconscientes, ou seja, tem uma percepção assertiva de quem são e do impacto disso na vida dos outros e nos resultados do trabalho.

Apenas 15% de força de trabalho global está engajada e satisfeita com seu trabalho, a Gallup tem feito esta pesquisa repetidamente por 20 anos e os números variam muito pouco.

E sabemos que existe uma correlação entre a identificação, uso e desenvolvimento dos pontos fortes com bem-estar.

Um ponto forte é muito mais que uma competência, posso ser competente em algo e detestar fazer aquilo, um ponto forte é quando posso e gosto de fazer algo.

Explorar as competências acaba tendo um olhar fixo no passado, no que foi realizado, já quando exploramos os pontos fortes estamos pensando em possibilidades.

Os Pontos fortes segundo a Psicologia Positiva:

Os pontos fortes são formas de se comportar, pensar e sentir que estão relacionadas à capacidade natural do indivíduo, geram satisfação e permitem que o indivíduo tenha um funcionamento ótimo na busca de realização. Ou seja, são capacidades naturais que podem ser aplicadas produtivamente.

Um aspecto muito interessante é que mesmo falando de capacidades naturais e preferencias, existe a possibilidade de incorporar fortalezas e evoluir as atuais.

Um modelo dinâmico para manifestar o que temos de melhor:

A abordagem da psicologia positiva quanto às fortalezas propõe um modelo dinâmico e flexível, porém com base em pesquisa cientifica séria e com o objetivo de levar as pessoas a manifestarem o que tem de melhor.

Seligman e Peterson trabalham as fortalezas em 3 dimensões Virtudes, Traços de Caráter e Talentos.

Virtudes – São aspectos mais abstratos, admirados por todas as civilizações. Humanidade (ser mais humano), por exemplo, é uma virtude.

Traços de Caráter – São traços que contribuem para o benefício pessoal e dos outros, todos são positivos e complementares. Gentileza, é um traço de caráter, por exemplo.

Talentos- Tem mais relação com capacidades naturais, incluindo aspectos cognitivos e comportamentais. Facilidade de comunicação, é um exemplo de talento.

Talentos e traços de caráter contribuem para a construção das virtudes.

Posso usar minha capacidade de comunicar para manifestar gentileza e finalmente ser mais humano nas minhas relações.

Comunicação > Gentileza > Humanidade

Todos são elementos passíveis de desenvolvimento e que não existe uma única forma de ser mais gentil e então mais humano.

No momento em que vivemos de adversidade, gentileza e humanidade acabam tendo destaque, porque as oportunidades de manifestá-las ficam mais evidentes e o impacto dos pequenos gestos aumenta.

O contexto é muito importante na identificação e manifestação dos Pontos Fortes:

Seja em processo de coaching individual ou em projetos com times, é importante observar variáveis do contexto para entender melhor os pontos fortes mais frequentes, potenciais e menos frequentes nas pessoas. Entender os desafios (individuais, do time, área e empresa), os interesses, recursos, circunstâncias pessoais.

Entender o contexto ajuda a entender por que algumas capacidades estão mais presentes que outras, e provocar uma reflexão sobre o melhor aproveitamento e desenvolvimento delas.

Identificando pontos fortes dos indivíduos:

O que não fazer!

Não rotule – Seligman apresenta evidencias que rótulos mesmo que positivos, não promovem motivação, esforços, eficácia interpessoal ou outros aspectos de performance pessoal ou florescimento.

Uma imagem cristalizada dos meus pontos fortes limita as oportunidades que busco e aquelas que me oferecem. Posso encontrar oportunidades de aplicação, mas elas não necessariamente desafiam o meu desenvolvimento. É o que a Carol Dweck diferencia entre mindset fixo e mindset de crescimento.

Identifique e Desenvolva:

Entender os pontos fortes como uma constelação de capacidades que podem ter influência do momento e contexto. E que principalmente não trabalham isolados e estão em constante evolução.

Identifique, mas priorize o desenvolvimento. Isto permite que a pessoa aprenda a saber quando e como usar essas capacidades e o impacto do seu uso em outras pessoas de forma a aumentar a sua eficácia.

Nesta abordagem é importante fornecer informações as pessoas para que possam fazer bom uso das capacidades mais frequentes, que possam desenvolver aspectos potenciais e tracem um plano para concretizá-los.

E aqueles aspectos menos frequentes, administrar, tanto se complementando com outras pessoas ou incorporando conhecimentos ou metodologias que contribuam para suprir uma capacidade menos presente.

Abordagens para identificar os pontos fortes: Explorar e Mapear

Existem basicamente duas abordagens para identificar os pontos fortes das pessoas, a primeira é de explorar de maneira aberta, e outra utilizar classificações que tem base e acompanhamento estatístico via um assessment de pontos fortes.

Particularmente gosto de compor as duas abordagens, isso acaba trazendo um equilíbrio porque cruza percepções e respostas qualitativas com informação estatística. Assim reduzimos a subjetividade, mas também não caímos na limitação de uma visão exclusiva dos resultados de questionários.

StrengthsSpotting – Colocando os pontos fortes em foco:

A melhor imagem para explicar esse exercício de observação é a de um holofote em um palco que ilumina os artistas para que se veja melhor a performance, e nesse caso os “artistas” são os Pontos Fortes.

Existem variações desse exercício que você pode aplicar já. (seja individualmente ou com o time, independente do distanciamento).

Observação diária dos Pontos Fortes:

Diariamente observar sinais da manifestação de Pontos Fortes. Quais costumam ser esses sinais?

- Energia e compromisso ao utilizar o ponto forte;

- Perder a noção do tempo porque está tão concentrado e envolvido na atividade;

- Aprender muito rapidamente sobre tudo que estiver associado ao ponto forte;

- Desempenho exemplar quando se utiliza o ponto forte, com o respeito e a admiração de outros;

Ouvir os Pontos Fortes:

As reuniões online, podem ser uma oportunidade enorme de ouvir os pontos fortes dos outros. Cada um se manifesta por vez, não existe uma posição mais importante numa mesa virtual, todos se veem, quando alguém fala o sistema o coloca em evidência. Então aproveite para ouvir e ver os pontos fortes, literalmente no tom de voz, na manifestação corporal.

Sinais de que está ouvindo Pontos Fortes em uma conversa:

- Mudança no tom de voz, mais claro e mais definido;

- Há uma sensação de energia e elevação na sua voz, fluidez na fala;

- Melhor escolha de palavras e descrições;

- Envolvimento total e presença plena na conversa;

- Manifestação corporal mais relaxada, olhar atento;

Algumas perguntas que podem ajudar a explorar os pontos fortes:

Que tipo de coisas gosta de fazer no dia-a-dia?

Qual a sua realização mais significativa?

Qual a atividade que te energiza mais?

Mapear os Pontos Fortes:

Aqui já sabemos que características e variáveis estamos buscando e como elas podem contribuir para os desafios.

Existem duas formas de fazer isso:

Entrevistas estruturadas com base nos Pontos Fortes:

As entrevistas não são limitadas em buscar provas do que a pessoa já realizou, como uma entrevista por competências.

O principal foco é estabelecer a ponte entre as capacidades naturais das pessoas e pontos fortes que contribuem para os desafios do projeto, função, tarefa etc. Ou seja, já temos uma ideia do que estamos buscando.

Por exemplo se a posição exige uma postura como representante ou porta-voz da empresa, comunicação é uma fortaleza que gostaria de ver presente.

Podemos explorar na entrevista, se em alguma atividade anterior (do trabalho ou não) o candidato manifestou essa fortaleza. Um discurso na formatura, peças de teatro, apresentações musicais.

Aplicação de Assessments:

Utilizar questionários online, com comprovação estatística para medir variáveis já comprovadas como consistentes pelas pesquisas da psicologia positiva. Existem soluções para medir Virtudes e Traços de Caráter e soluções concentradas somente em medir Talentos.

O que é importante é considerar a fundamentação, utilize ferramentas que de fato foram construídas para medir fortalezas.

Olhe o resultado como um retrato do momento do indivíduo, os pontos fortes são dinâmicos alguns podem estar mais presentes, outros menos manifestados, outros ainda por descobrir.

E quanto aos times?

Com as equipes e projetos cada vez mais horizontais, com estruturas e métodos de trabalho onde a hierarquia e o comando e controle começam a perder a importância. Fica mais evidente uma coisa, as pessoas serão consideradas pela contribuição individual e como colaboram entre si.

E nesse cenário saber que não existe um perfil ideal e que é mais importante trabalhar a complementariedade entre os pontos fortes da equipe.

Entender como nossos pontos fortes se somam acelera as respostas aos desafios que aparecem e ajuda a manter um clima de confiança e colaboração mesmo em tempos adversos.

O que levar deste artigo:

Os tempos de incerteza são uma excelente oportunidade para manifestar nossos pontos fortes. Conhecer e desenvolver nossos pontos fortes individualmente e como time ajuda a construir uma imagem de quem queremos ser, independente das circunstâncias, cria recursos para enfrentar as tempestades.

Ao identificar e desenvolver pontos fortes utilize um mapa ou guia, mas não deixe de explorar novos caminhos, você vai se surpreender com capacidades que estavam escondidas.