Blog

16 Dicas de um pianista de jazz para trabalhar em equipe.

Avaliação do Usuário: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

grand piano drawing blackboard music 1379 521

por Miguel Nisembaum

Será que as dicas de um dos maiores pianistas de Jazz para tocar em um Grupo se aplicam as equipes nas empresas. Na minha opinião COMPLETAMENTE!

Estes 16 tópicos desenvolvidos pelo Chick Corea se aplicam perfeitamente ao trabalho em equipe, e em tempos de Agile, nada mais horizontal e colaborativo que um grupo de jazz.

Abaixo de cada tópico meus comentários aplicados a times.

1-     Toque só o que ouvir.

Um dos maiores problemas em times é que gastamos mais energia em manifestar nossas opiniões e marcar nosso território do que em ouvir as vozes e contribuições dos outros.

2-     Se você não ouvir nada, não toque nada.

Quando há muito ruído ou excesso de informação, fazer uma pausa para ordenar a direção e intenção de onde quer chegar vai ajudar muito.

3-     Não deixe seus dedos, pernas e pés trabalhar a esmo. Use-os com intenção.

Resumindo, saia do modo automático.

4-     Não improvise eternamente, toque algo com intenção, desenvolva aquilo ou não, mas termine e faça uma pausa.

Imagine um improviso como uma ideia colocada na mesa, desenvolva-a com paixão, e caso ela não prospere, faça uma pausa e tire as lições antes de descartá-la ou de apresentá-la novamente de uma maneira diferente ou em momento mais oportuno.

5-     Deixe espaço – crie espaço – intencionalmente crie momentos onde você não toca.

Quer que o grupo inove e tenha autonomia, saia de cena, deixe que se manifestem.

6-     Faça com que seu som se misture – Escute o seu som e ajuste ao resto da banda e a sala de concerto.

Trabalhar a complementariedade e recursos do time se ajustando aos cenários que se apresentam.

7-     Se você toca mais de um instrumento ao mesmo tempo- como percussão ou bateria, tenha certeza de que estão equilibrados um com o outro.

Nada mais é do que equilíbrio entre as tuas atribuições se for acumular funções ou exercer um trabalho multidisciplinar, garanta que irá fazer cada parte da melhor maneira. Caso contrário delegue ou se complemente ou priorize. Na música também menos é mais.

8-     Não faça nenhuma música mecanicamente, ou só seguindo padrões por hábito. Crie cada som, frase e canção com escolhas conscientes.

Seja autêntico e saia dos padrões pré-formatados. Mais uma vez não viva, nem trabalhe como um robô.

9-     Guie sua escolha pelo que você gosta, e não pelo que os outros vão pensar.

( auto-explicativo).

10-  Use contraste e equilíbrio entre os elementos: grave/agudo, rápido/lento, alto/baixo, tenso/relaxado.

Isso vale para contar uma história ou para garantir que haja momentos de concentração, descanso e renovação na tua vida e da do time.

11-  Toque para que os outros músicos soem bem. Toque para que o conjunto da música fique bom.

Resumindo atue sempre pensando no bem comum do time, clientes e produto.

12-  Toque de maneira relaxada. Deixe ir qualquer tensão criada.

Tente se conduzir da maneira mais leve possível. O stress acaba com a colaboração nos times, é percebido pelos clientes e parceiros e claro se reflete na qualidade das decisões e resultados obtidos.

13-  Comece, desenvolva e termine frases com intenção.

Tenha clareza do que quer manifestar, ajuste seu discurso.

14-  Nunca bata ou seja duro com seu instrumento, toque com facilidade e graça.

15-  Crie espaço e só aí inclua algo.

É melhor dar condições para que as pessoas mudem do que impor a mudança.

16-  Use a imitação com parcimônia. toque frases diferentes, mas que desenvolvam as ideias dos outros músicos.

Fuja do pensamento de manada, some as ideias e alinhe a direção. 

Segue aqui a lista original feita pelo Chick Corea

12307964 650487021721759 2650966948982002552 o